Artista notável nas artes plásticas de Indaial, será destaque na exposição “Personalidades”
03 de Agosto de 2017


...

Nesse mês de agosto Beatriz Bona, artista notável nas artes plásticas de Indaial, será destaque na exposição “Personalidades” da Fundação Indaialense de Cultura. A exposição tem o propósito de valorizar e divulgar o trabalho dos notáveis da arte indaialense em diferentes categorias ou facetas artísticas. Os personagens destacam em suas obras ou criações, a técnica, beleza, criatividade, habilidade e inventabilidade. O artista com o seu talento e estilo característico desperta no expectador a inquietação.

A primeira personalidade a mostrar suas criações foi a estilista Aster Scheidt em maio. Nessa segunda edição a FIC convidou a artista Beatriz Bona, nascida em Indaial, para expor suas obras. A solenidade de abertura da exposição, intitulada “Doze Coleções”, será na sexta (4), às 20h, na FIC (rua Dr. Blumenau, 5, Centro).

Beatriz Bona nasceu em Indaial em 21 de outubro de 1942. Desde pequena gostava de desenhar e amava o grafite. Foi a primeira professora de artes no município. Estudou desenho e pintura na Escola de Belas Artes de Curitiba (PR) em 1960 com o mestre Guido Viaro, italiano radicado no Brasil. Fez escultura e cerâmica na Biblioteca Pública de Curitiba com a grande ceramista e artista plástica Odet Cid.

É artista reconhecida pelo público e pela crítica especializada. Dona de um notável currículo, 120 coletivas e 42 individuais e com trânsito livre em salões e galerias e reconhecimento no Brasil e também fora do país. Beatriz recebeu menções honrosas no Salão Petrópolis (RJ) e Salão da Polícia Militar (RJ), medalha de ouro na XXVII Semana de Portinari em Brodowski (SP) e participou no IX Circuito Internacional de Arte Brasileira com menção honrosa internacional MAP – Londres-Madri-Lisboa-Brasil. Em suas obras há destaques para a natureza em diversos suportes. 

Reside e atua como pintora no município de Blumenau há mais de 50 anos, onde trabalha em seu atelier, que, desde 2009, passou à Instituto Cultural Beatriz Bona. 

Beatriz relembra as palavras da artista Sulema Mendes: “A função social da arte não é refletir instantaneamente de uma época, mas tornar-se acessível a toda a sociedade. E mais, perpetuar-se, atual para todos os homens. E é sempre individual e livre. Em arte somos todos aprendizes a vida inteira mesmo os que se julgam mestres”.